Sexta, 07 de Maio de 2021 01:05
(86) 99527 0737
Justiça Injúria racial

Polícia Civil e Hospital de Urgência de Teresina apuram denúncia de injúria racial contra enfermeira

Médica teria chamado a enfermeira Laiane Nunes de "escurinha" dentro do centro cirúrgico do hospital. Diretor do HUT, Fábio Matos, informou que caso está sendo apurado. Polícia Civil recebeu denúncia.

04/05/2021 08h58
Por: Nunes
 Enfermeira denuncia médica do HUT por injúria racial Enfermeira denuncia médica do HUT por injúria racial
Enfermeira denuncia médica do HUT por injúria racial Enfermeira denuncia médica do HUT por injúria racial

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) e a Polícia Civil do Piauí estão apurando uma denúncia feita pela enfermeira Laiane Nunes. Ela relatou ter sido vítima de injúria racial por uma médica durante plantão na noite desse domingo (3), no Centro Cirúrgico da unidade de saúde. O diretor do HUT, Fábio Matos, informou que o caso "não vai ficar impune".

A enfermeira Laiane Nunes contou que denunciou o caso para a gerência de enfermagem do hospital. A direção do HUT confirmou que a denúncia foi recebida e que foi aberto um procedimento administrativo para apurar o caso. O G1 ainda não localizou a médica, que não se pronunciou até o momento.

Laiane relatou ao G1 que estava tentando resolver um problema com a médica relacionado à anestesia de uma criança que precisava passar por uma cirurgia de apendicite. Ao sair do local onde a médica estava, soube que ela a tinha chamado de “escurinha”, se referindo à cor de sua pele.

“Uma técnica de enfermagem me disse que ela tinha falado ‘chame ali aquela enfermeira escurinha’. Me indignei e disse que faria o que estivesse ao meu alcance para não ficar impune. Outra enfermeira então disse que ouviu ela falando para os colegas que tinha falado isso mesmo, porque não sabia meu nome”, relatou a enfermeira

 

Pela segunda vez

Segundo ela, uma situação semelhante já havia acontecido antes, cometida por outra pessoa, mas ela decidiu não denunciar porque na época não tinha recebido o mesmo apoio que recebeu de seus colegas nesse domingo.

"Eu só saí e fui chorar no banheiro nesse dia. É muito difícil", contou.

 

Investigação criminal

A denúncia também foi feita pela enfermeira à Polícia Civil. Segundo o delegado Sebastião Escórcio, titular da Delegacia de Repressão às Condutas Discriminatórias e proteção dos Direitos Humanos, o caso será investigado como injúria racial.

 

Supremo adia julgamento que decidirá se injúria racial pode ser equiparada ao crime de racismo

A lei 7.716, de 1989, definiu os crimes resultantes de preconceito de raça ou cor. De acordo com o Código Penal, injúria racial é a ofensa à dignidade ou ao decoro em que se utiliza palavra depreciativa referente a raça e cor com a intenção de ofender a honra da vítima.

O crime de racismo, previsto em lei, é aplicado se a ofensa discriminatória é contra um grupo ou coletividade — por exemplo: impedir que negros tenham acesso a estabelecimento.

 

'Palavras que ferem'

Enfermeiras e técnicas de enfermagem que presenciaram o caso nesse domingo ficaram revoltados. Laiane destacou que decidiu tomar uma providência para que ninguém mais passe por situação semelhante.

“São palavras não tão gritantes para quem vê de fora, mas são gritantes dentro de quem sofre, porque são palavras que doem, que ferem, que humilham, mesmo eu sabendo do meu valor. Nós, negros, desde pequenos lutamos contra esse tipo de atitudes e pessoas, que tentam desconstruir quem somos, roubar nossa força e querer nos acuar”, disse.

 

HUT disse que caso não ficará impune

O diretor do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), Fábio Marcos, disse que o recebeu a denúncia e abriu um procedimento administrativo para investigar o caso. Ele afirmou ainda que reuniu o corpo técnico do hospital para discutir o assunto, e registrou a denúncia no livro de ocorrências do Hospital.

“Não vamos deixar isso passar impune. Uma situação como essa mancha a imagem de todo o hospital. Como podemos aceitar uma médica destratando uma colega de trabalho dessa forma?”, disse o diretor.

 

Veja a íntegra da nota da unidade de saúde:

O Hospital de Urgência de Teresina, Prof. Zenon Rocha (HUT) é uma instituição que tem como foco a gestão transparente.

Sobre uma acusação de racismo envolvendo servidores, informamos que uma apuração interna para maior detalhamento dos fatos está em curso na Ouvidoria, a fim de subsidiar a posterior instauração de um Processo Administrativo Disciplinar.

O HUT lamenta profundamente o ocorrido e defende uma sociedade plural e democrática com eliminação de todas as formas de preconceito e discriminação.

Reafirmamos nosso compromisso de salvar vidas e o restabelecimento da saúde dos usuários atendidos nessa que é maior urgência e emergência pública do município de Teresina

 

G1

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias